sábado, 13 de março de 2010

Só, te desejo.

E de repente percebi que te uso.
Sem maldade, te uso.

Uso como um refúgio, como fortaleza.
Não te amo - bem que gostaria...
Não dependo, não espero, não quero
que sejas o amor da minha vida.
Apenas atende aos meus apelos
e cede aos meus desejos.
Hoje a noite convida
A livrar-me dessas paredes
Adoro ser tentada, adoro não resistir.
Desfrutarei, pois, de minhas fraquezas.
E te procurarei quando precisar
de um descanso ante as incertezas.

Um comentário:

Anna disse...

ESTOU LENDO .. ;)

bjoooo