terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Coisa chata!!!

Estou com muita vontade de escrever hoje, mas não sei por onde começar, nem do que falar, nem nada.
Que fim levou o tão aclamado "ócio criativo?" Meu ócio não é nada, nada criativo. Pelo contrário: é preguiçoso pra caramba. 
Só pensa em dormir... Isso quando pensa!
Fico aqui pensando nos meus Rs, nos meus Scórpios e me perguntando se poderia falar sobre algum deles...
Naaaada. Nada!
Acho que a fase de pensar nos outros já passou. Durou pouco mesmo!
Estava lendo meus posts antigos e percebi que tinha mudado muito desde que comecei esse blog (uns quatro meses, somente).
No começo, era só eu, eu... 
Enchia o peito pra dizer que não precisava de ninguém, nem me importava com ninguém, nem me preocupava com ninguém nem com que os outros pensavam sobre mim.
Então, me peguei escrevendo sobre um grande erro que cometi e que, um ano depois, foi perdoado e como isso me fez sentir melhor. 
Mais adiante, vi que fiz algumas declarações de amor, outras de desejo, outras de raiva de alguém pelas coisas não estarem indo conforme eu queria.
E ainda me peguei contando como estava bem, feliz...
Se isso tudo é não se importar com ninguém, não sei o que se importar então!
Acho que descobri, enfim, meu segredo. E é o eguinte:
Tenho esse blog que quase ninguém lê, principalmente os destinatários (isso mesmo, plural) das mensagens.
Mesmo assim, escrevo. Mesmo sabendo que o que escrevo não vai chegar a quem realmente deveria. E que não haverá reação alguma depois de uma mal feita poesia, umas linhas rabiscadas...

E não me sinto mal por isso. Eu não fico esperando nada em troca.
Acho que esse é o ponto princilpal: a troca!
A gente se decepciona demais quando faz algo e não recebe nada: nem um agradecimento, nem um elogio, nem uma crítica!
Portanto, não fazemos nada por nós mesmos, e sim pelos outros. E quando não tem retorno, dá-se a desilusão.
Eu não. Eu faço por mim. Tudo que sempre fiz foi porque eu quis. Se agrada, bem. Se não, desculpem-me.
Claro que não faço nada que vá perjudicar a outras pessoas (eu tento, pelo menos).
E agora digo que não tenho nada a dizer. Nada a ninguém. 
Todas as declarações, seja de saudade, de desculpas, de raiva, de desejo e, principalmente, de amor, que deveriam ser feitas já foram feitas. Acabou. A fonte secou. 
Me esvaziei de novo. E sei disso porque tenho essa necessidade enorme de escrever e, insisto, não tenho inspiração.
Não estou nem feliz, nem triste. Não tenho ninguém em quem pensar a ponto de dedicar um  post nesse blog (grande coisa, né???), não estou revoltada com nada, nem empolgada com nada.
Ai, que coisa chata!

Acho que vou sair caçando alguma inspiração por aí...

2 comentários:

Juan Moravagine Carneiro disse...

Sei que estou lhe devendo uma visita neste espaço faz tempo... só tenho certeza d euma coisa...um dia todos nós vamos morrer...

Soninha disse...

Eeeee.
Acho q essa sua vistita foi mais do q as minhas próprias...
Eu mesma abandonei isso aqui!
Qnt à sua certeza: eu concordo com isso, como todos. O grande problema é que demoooora demais.
Tenho q preencher esse tempo com algo interessante...