quinta-feira, 20 de maio de 2010

Ciranda

Andei antes pelo teu passado e não encontrei o que vi hoje. Um passado escondido, que se faz no presente, surpreende, e mascara o agora, atraindo-me de maneira irreversível.
Não te vejo, não te sinto sempre que desejo nem posso tê-lo quando quero. Assim, as vontades vão se acumulando. Mais um dia e enlouqueço. Já dilacero-me inteira com gritos interiores que te procuram de forma desvairada, pois quero-te aqui dentro.
Chamo-te incessantemente sem resposta, e chegará o momento em que a procura, exausta, adormecerá.
Mas o desejo...
Ah! O desejo. Este não se cala. Fala cada vez mais e cada vez mais alto, tentando ser ouvido ao longe, implorando pela contemplação que se faz cada vez mais surda e distante. E, quanto mais distante, mais eu corro. Corro ao encontro do nada, pois parece que a distância só faz aumentar.
Norte-Sul. Equinócios. Numa face a folhagem  revestindo veredas de um castanho caído, enquanto na  outra as copas festivas exibem infinitos tons domingueiros; Numa face brilham extintas estrelas enquando na outro o sol, ainda que por vezes com alguns crivos, sempre se faz presente.
A roda gira, as posições se invertem. Contudo, essa dança de astros em graus opostos que ostentam seu lume em momentos divergentes nunca passará de uma antítese infindável e exaustiva.
Encontro-te em mim, a cada segundo. E isto basta-me.

4 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

O desejo é indomável.

Heat disse...

"Encontro-te em mim, a cada segundo. E isto basta-me."

Que lindo!!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Sua última frase me fez lembrar de Fernando Pessoa quando diz "Quem depende de outra pessoa para ser feliz é um escravo"...

beijos!

Jorge Pimenta disse...

a construção do ser plural no canto mais recôndito da alma... mesmo que na quietude do silêncio ou na falésia da ausência.
mais que um estado de efectivação física, o ser plural é a espiral que irrompe do peito dilacerando os ossos, rasgando a pele e respirando pelos seus próprios pulmões... mesmo que sem o oxigénio de ti.
um beijinho!